quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

AMOR EM 4 ATOS

 

Hoje foi a estreia da microssérie “Amor em 4 atos” inspirada nas musicas de Chico Buarque.

Estava ansioso para ver o que conseguiriam criar tendo como norte a musica e poesia desse compositor que sempre me encantou com suas letras extremamente visuais, fortes, encadeadas. Essa ansiedade também poderia vir seguida de uma frustação, afinal não deve ser fácil nivelar-se a Chico Buarque que por si só já acaba eclipsando tudo a volta.

No entanto esse 1º episódio, despretensioso, foi bastante amigável. Não teve a força das letras de Chico Buarque, mas também não se perdeu tentando ser o que não conseguiria. Foram duas histórias simples e bem contadas. Pitadas e leves nuances da obra de Chico como um pano de fundo não muito forçado, mas presente. 

Acho importante esse exercício na televisão brasileira, saindo da zona de conforto, tentando alcançar telespectadores que já deixaram a TV aberta pela falta de qualidade e conteúdo. Então aplaudo “AMOR EM 4 ATOS” e tudo que projetos como esse significam.

Pensei em ilustrar o post com alguma frase do Chico, esbarrei na quantidade de musicas que sou absolutamente fã! As românticas, as politicas, as infantis, as descontraídas, enfim, é quase impossível cita-lo! Mas fiz:

"Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa, 
ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário, 
na posta-restante
Milênios, milênios
No ar."

9 comentários:

Michele P. disse...

Não assisti, mas gostei da sua propaganda. rs


Um abraço

Cris França disse...

Ola João

que saudades daqui, e da qualidade do teu texto

confesso que não vi, e nem ouvi falar da série, mas se vc indica arrisco-me a ver.

apesar de não gostar nada dessa idéia de amor que pode esperar, sempre acreditei na urgência do amor, de que vivemos vivê-lo enquanto ele pulsa em nós, embora haja amores assim eternos, eu sinceramente, a não ser pela minha filhota, os desconheço e cada dia mais, vejo as pessoas trocando-se umas pelas outras, muito mais do que via antigamente.

mas que culpa a gente tem de querer ser feliz não?

bjs pra vc

o Humberto disse...

João, assisti, gostei na hora, não gostei depois de analisar de novo... Gostei mais do seu post, por conta dele vou assistir ao segundo episódio com mais inspiração.

Abs.

Richard Mathenhauer disse...

Como está, João?

Eu não assisti, mesmo pq tenho uma certa antipatia pelo Chico... rs... coisas de Richard. Mas, gosto de muitas das suas composições, especialmente qdo não cantadas por ele. Embora não tenha assistido, achei interessante fazer algo inspirando-se em letras de música.

Quanto ao seu comentário, acaba inspirando ver.

Gde abraço!

david era uma vez... disse...

Caray! preciso assistir mais televisão! nem tava sabendo dessa microsserie! vou assistir o segundo episodio!
Pelo que vc ta dizendo aqui deve ser legal mesmo!
Gosto muito do Chico vamos ver se eles fazem tudo certinho!

Abraços!

Bruno Dezinho disse...

as vezes algumas coisas se salvam na televisão.

Diannus do Nemi disse...

Infelizmente não tive a oportunidade de ver todos os capítulos, mas assisti ao último, o que o personagem principal, em uma fuga da realidade, acredita que viveria um grande amor com uma prostituta.

Apesar de não ter aparecido no episódio, lembrei-me de uma das pérolas do Chico:

"Hoje eu tenho apenas uma pedra no meu peito,
exijo respeito, não sou mais um sonhador,
chego a mudar de calçada quando aparece uma flor
e dou risada do grande amor!
...mentira!"

Abraços!

Marcio Nicolau disse...

João

eu poderia ter escrito este texto! rs

Vi os quatro episódios, gostei muitíssimo e estou plenamente de acordo com você.

Sobretudo no que diz respeito aos versos que escolhei pra ilustrar o teu artigo.

Simplesmente adoro a canção Futuros Amantes, é de arrepiar.

Ou seja: acertou em cheio.

Diego Camargo Borba disse...

Tesão por Chico Buarque!!!!!! É a preferência da casa do ferronaboneca1985.blogspot.com.

É fera.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...