quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Porém, já nascemos livres!

Tirando aqueles insetos notoriamente asquerosos e os muito peçonhentos, eu me considero um amante dos animais. Não chego a ser um Franciscano e tempouco desvio da trilha das formigas, mas em linhas gerais defendo o reino animal! No entanto, eu não consigo gostar de gatos!

Esse é um eterno dilema, eu sei. O mundo se divide entre os que amam esses bichanos e os que odeiam. E se eu tiver que tomar partido, fico com o segundo grupo.

Eu poderia enumerar milhares de motivos para não gostar desse tipo de felino (porque dos outros felinos eu gosto, por exemplo os leopardos e afins são fantásticos), poderia ainda estabelecer uma linha de comparação deles com os cães e garanto que teria bons argumentos. Mas isso não é um julgamento, não quero mudar a idéia de ninguém sobre o tema.

O fato é que parei com tudo e analisei em particular o meu asco.

Enfim descobri porque eu não gosto dos gatos!

Como eu posso amar um animal tão independente? Um bicho que se diz domesticado e subordinado ao dono, mas que na verdade só usa esse como mantenedor. Esse bicho é mau caráter, é egoísta, é parasita! O gato te procura se quer comer, se está com vontade de receber carinho, se convier pra ele essa aproximação! Não vou lembrar a fidelidade canina, não tem comparação mesmo!

Então cheguei a conclusão que dificilmente pessoas possessivas, dominadoras, paternalistas ou derivadas desses predicados poderiam apreciar esse convívio. Sim, eu falo por mim. O gato é muito livre pra ser meu! O gato é dele mesmo, e isso me aflige deveras.

Sim, o problema é comigo e não com os gatos, eu sei, mas quem paga as contas sou eu! Sem contar no pelo, na língua áspera, nos miados chatos, no andar sorrateiro, na capacidade bizarra de sempre cair em pé! Isso não deve ser de Deus!

Já dividi um apartamento com dois gatos siameses e a experiência foi traumática! Quem pode confiar em alguém com olhos azuis, já dizia minha vó!

Moral de história, gatos existem milhares, com suas 7ou 9 vidas, eu tenho uma vida só, e se for pra ter um animalzinho de estimação, fico com a subserviência amistosa dos cachorros!!

Felino, não reconhecerás!

“Milhares de anos atrás os gatos eram adorados como deuses; e até hoje eles não esqueceram isto”

5 comentários:

Assim que sou disse...

Oi, João

Pode me incluir nessa lista dos que convivem com gatos apenas pela impossibilidade de não fazê-lo. E sua definição foi perfeita:o gato é muito livre para ser meu e eu também sou uma derivação do paternalismo possessivo. Os anos de reflexão me fizeram melhorar, mas não ao ponto de querer um gato dentro de casa. Nem Léo, o meu lhasa, admitiria. Gosto do compartilhamento, ainda que com os desvios que a alma dominadora nos impõe. Gosto sobretudo de trocar pensamentos e idéias. Foi ótima a sua visita e aqui voltarei sempre. Um beijo. Veronica

Luc's. disse...

É isso aí. Mando bem.
Valeu a visita no C.Oca hein.
show!

Thefy disse...

Também não gosto de gatos, prefiro o carinho e melhor companheirismo dos cães..rs
Adorei o blog..
Bjokas

John Doe disse...

##clap clap clap clap# muito bom BRAVO bom mesmo, sou de comum acordo, mas admito, em partes acho que devo realmente como dizem minhas amigas amantes de gatos, devo trer muita inveja dos tais felinos, apesar de que não posso me imaginar a lamber as partes todos os dias...

Richard Mathenhauer disse...

Olá, João!
Vim ver sua indicação de texto: olha, cá pra nós, também não gosto de gatos, mesmo porque sou alérgico eles, e, além do mais, compartilho da opinião de ser algo bizarro eles sempre cairem em pé! - sinal de que estão sempre preparados pra tudo... E gato se esfregando nas minhas pernas, então!

Prefiro meus quatro cães. São, digamos.

Gde abraço,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...