domingo, 4 de julho de 2010

TE AMEI...

Te amei e amei minha fantasia

Amei de novo e amei a nossa estréia

Amei meu próprio amor e amei a tua audácia

Te amei muito e pouco e comovidamente

Amei a história construída, os ritos e os porquês

Te amei no invisível e no inaudível

Amei no crível e no incrível

Amei ser dona e te amei freguês

Te amei e amei a farsa arquitetada

Amei o nosso caso e amei a nossa casa

Amei a mim, amei a ti, parti-me ao meio

Te amei no profundo, no raso e com atraso

Não era tua hora, não era a minha vez.

6 comentários:

Clenio disse...

Senti um ar de fim de caso aí, mermão... Se quiser conversar, tamo junto. Só passar um fio.

Beijo grande
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

PS - Quanto aos comentários no EU ME LEMBRO... certas coisas a gente não fala pra não queimar o filme...

Mila disse...

Martha sempre fala por nós, néam? As coisas felizes e as coisas tristes.

Dos amores que foram e daqueles que virão (esta é a melhor parte).

Beso, Johnny

Juliana. disse...

"O que é o fim, senão um recomeço", se o amor chega ao tão doloroso fim, devemos recomeçar com quem realmente mereça!
Um abraço
Juliana

Cleyton Cabral disse...

Belo. Abs,

Léia.. disse...

Este poema tem a minha cara...adorei muito...
Já que AMEI, AMEI e AMOOOOOOOOO...

Bj
Mari

railer disse...

a martha é muito fera mesmo...

esse texto é pra simbolizar algo que aconteceu? até teu irmão sentiu isso. liga pra ele!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...