sábado, 31 de julho de 2010

NA PISTA PRA NEGÓCIO


Não vou falar aqui, não hoje pelo menos, das dores do fim de um relacionamento, apesar de poder falar com propriedade e de ser extremamente pertinente neste momento. Hoje vou me ater a apenas uma das características desse momento. 

Talvez pior que a dor do fim de um relacionamento é descobrir que o mundo não ficou onde você o deixou. É perceber que as possibilidades não estão mais possíveis, não aquelas mesmas e ter que descobrir novamente o mundo, desta vez sozinho, é uma aventura nem sempre desejável. Sendo você o pé, e não a bunda, ainda vem o pensamento 'será que fiz mesmo a coisa certa?' - e essa pergunta se deita toda noite  com você...

Se relançar no mercado é uma tarefa que a 1ª vista é ótima, enfim a liberdade dos olhos, lábios, mãos e o quem sabe outras partes do corpo. Mas quando essa nuvem de fumaça se desfizer vai revelar a dura realidade do mundo dos solteiros (afinal, tudo tem 3 lados)

Por sorte ou planejamento estratégico, quem não se desfez dos amigos durante o relacionamento já sai na frente, eu felizmente preservei os meus (apenas reduzi a carga horária), e agora estou com certo respaldo na hora de encarar o pseudo-inédito ritual de socialização: A NOITE.

Todo o recomeço é difícil, eu sei, e assim como milhares de novos solteiros terei que saborear todas as etapas dessa fase. Considero-me equanimente ansioso, preocupado, otimista e confiante.

Acho que é mais ou menos assim que acontece com todo mundo que não tem a sorte de encontrar o par ideal de primeira. Tanto pés quanto bundas tem que partir do zero. É isso que faz do trágico o cômico. O barco do recomeço é o mesmo...

Pode ser futilidade ou frivolidade, mas de qualquer forma já comprei passagens para o Rio de Janeiro, mês que vem vou passar uns dias no Rio com um amigo que está também se desintoxicando de uma relação acabada. Acho que mudar de ares é uma boa opção, se não é uma solução, me contento com um bom recomeço!

10 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

Sol, mar, maresia, areia...
Um recomeço.
Não é consolo, mas alivia.
Bom recomeço!

P.S. competindo em desgraça: pior levar um pé no vaso traseiro ou ser feito Rei de Rodeio?

Cris França disse...

Amigo João

olha eu sou especialista no tema...coração partido e acredito que o remédio é o mais amargo e tradicional, coisa daquele remédio da avó que é ruim, mas funciona.
o unico remédio que conheço para isso é o tempo...mas haja força para sobreviver enquanto ele não passa...
a dica ai é fazer o que vc vai fazer, divetir-se de mente aberta, ou pelo menos tentar.
boa sorte amigo, se precisar sei lá de alguém um dia para falar do assunto , vc sabe onde achar meu e-mail.

bjão

Lila disse...

É isso...e vamos recomeçar, da melhor forma que podemos, não está sozinho nessa, te garanto...rs
Voltando...tentando...
Bjkas

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

estar aberto ao outro a vida que segue

António Rosa disse...

Olá João

Muito agradecido por ter passado pelo meu blogue Cova do urso, pois foi a oportunidade que tive de poder conhecer os seus espaços, que entraram directamente na minha habitual lista de recomendações semanais.

Quando ao seu tema aqui, e devido à minha idade, já não me lembro quando foi a última vez que senti o coração partido, por terminar uma relação.

Imagine, sou tão antigo, que eu curava as minhas feridas amorosas com as canções 'dor de corno' da fabulosa Maria Bethania. Imagine s´+o!!! Nem havia hip-hop.

Solidário consigo, mas um jovem... sempre sempre encontra a melhor direcção para seguir o vento.

Você escreve excepcionalmente bem. Vou ficar muito atento.
Abraço.

Alexandre Ferrari disse...

João,
não sou o mais indicado para falar de fim de relacionamento (estou, faz muito tempo sozinho - parte por opção, parte por desencontros), no entanto, posso dizer a vc que tem muita coisa bacana para se fazer quando se está solteiro.
Uma delas é ir a lugares para se divertir: cara, ser uma boa companhia pra gente mesmo não tem preço! E estar sozinho é, quase sempre, sinal verde para bater papo, conhecer quem não se conheceria ao estar acompanhado, ver filmes diferentes, aqueles fora do circuito.
E se vc vai ao Rio ... solteiro no Rio de Janeiro ... mil opções.
Uma pena eu não estar por lá para te mostrar uns lugares muito bacanas, mas se quiser umas dicas (asferraris@globo.com), me escreva dizendo o que gosta e te indico lugares nunca dantes navegados.
Um grande abraço!!!!

railer disse...

bola pra frente, amigo. esse lance de manter as amizades é essencial, pois 'amigos são pra sempre, mas amores nem sempre'.

pena que quando você vier ao rio eu não estarei aqui. na próxima vez a gente marca algo. abraços!

Arthur Alter L. disse...

É meu caro,
fim de relacionamento é sempre doloroso, são muitas as perguntas. Todos fizenram longos comentários, disseram o q deviam ou não. Mas no fundo é a gente sozinho mesmo que enfrenta as dores, as certezas eas incertezas do momento.
Te desejo serenidade!
Abraço
Arthur

Lívia Komar disse...

Olá!
Todo recomeço é difícil mas é a chance de tbm nos REconhecermos... Boa sorte nessa nova jornada 'single'.

Adriano Mariano disse...

O negócio é "roer" o que tiver pra roer, chorar o que tiver pra chorar. Algumas vezes nos braços de outras pessoas, mas outras vezes se deixar "purificar" com o tempo do "solo" é a melhor pedida.

Entretanto, Rio é sempre bom e continua lindo qualquer fase da vida.

Bom texto,
ótimo blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...