sexta-feira, 9 de abril de 2010

H1N1 - TÔ VACINADO!

Hoje fui vacinado contra a gripe H1N1 – vulgarmente conhecida como gripe suína.

Apesar de existir todo um calendário apropriado de prioridades, os postos de saúde aparentemente não estão se negando a imunizar quem quer que seja, a não ser os idosos que terão em outra data acrescidas as vacinas tradicionalmente aplicadas. Eu tendo crônicos problemas respiratórios não encontrei dificuldade em conseguir minha dose.

Como em outras vezes, fui com o pessoal do escritório onde trabalho, em pequenos grupos. Esse método sempre funciona, uns incentivam os outros e acabamos mascarando a atividade.

Na internet houve uma enxurrada de noticias catastróficas quanto aos efeitos adversos desta vacina, e até planos conspiratórios, no entanto os especialistas garantem que foi um exagero. Eu preferi arriscar!

Ano passado, no auge da gripe aqui no Brasil, nós aqui do estado mais afetado (RS) realmente ficamos alarmados com o que vimos. A OMS (organização mundial de saúde) emitiu o alerta de pandemia e os números começaram a preocupar. Foram semanas de pânico. Escolas e faculdades fechadas, shows e eventos cancelados, hospitais em operações de guerra, quarentenas em todas as partes.

Fontes, até então confiáveis, nos alarmavam ainda mais. Graças a Deus o inverno passou e também o risco de contágio. No fim das contas nunca se soube ao certo o tamanho da epidemia e suas efetivas conseqüências. Seria uma grande jogada dos laboratórios? – não sabemos, acho que nem saberemos. De qualquer forma, para garantir, fiz minha parte, teoricamente, se o vírus não mutar, logo estarei imune ao H1N1.

Agora é esperar os efeitos colaterais. Não é negativismo nem fatalismo, é apenas a voz da experiência de quem conhece seu organismo há mais de trinta anos. Desde meus três anos de idade tenho diagnosticado essa minha fragilidade do sistema imunológico, coisa que já me foi muito mais preocupante, que felizmente agora, com o passar dos anos, tem se rarefeito. 

Certamente vou dar um ‘update’ neste post contando se tive ou não qualquer reação à vacina. Tomara que não, mas acho que sim – hehehehe.

 UPDATE: nenhuma reação registrada! Ué?! - melhor para mim!! [14/04/10]

12 comentários:

Simplesmente Outono disse...

Torço para que não.
Permaneço também na torcida para que, de fato, não surja mais uma mutação onde certamente o deixará mais resistente e conseqüentemente mais forte.
Com carinho,
Simplesmente Outono.

Flavih Jones disse...

Espero q vc tenha sorte, pq eu passei dois dias mal. Febre, corpo dolorido. Horrivel. ¬¬
Mas qualquer coisa é melhor do q o risco de ser infectado por a doença.
=D

Torço para q vc não tenha sentido nada. =)

Beijos.

Nuwanda - Actor disse...

Ás vezes não é presiso escrever mt mas viver mt.. e é o que tenho acaado por fazer, mas vou escrevendo de vez enquando, podes n tar é a procurar no lugar certo do blog..
Mas obrigado pela visita.

RAFAEL disse...

oi João...obrigado pela visita...

Então...qto a vacina, por aqui o alarde da doença ano passado tb colocou todo mundo em pânico. Minha vez de ser vacinado não chegou ainda...sou da turma que ficou pro fim de maio...rs rs rs..ja no inverno.

Tenho escutado histórias e mais histórias sobre as reações...vou deixar pra me preocupar qdo tomar minha dose.

abração...volte sempre.

Richard Mathenhauer disse...

Hum...
Eu sou da turma que prefere não tomar.

Já fui vacinado noutras campanhas, e não fui muito feliz, não, viu... rs

Oda Moura disse...

Antes de tudo, vacina dói!

Tenho 19 anos e não me enquadro nesse calendário feito para vacinar as pessoas.
Foi bom saber que os postos não tão se importando muito se as pessoas se enquadram no perfil de cada época.

Mas mesmo asim preferiria o remédio em gotas.

Simplesmente Outono disse...

Tomei ontem e por enquanto nenhuma reação. Muitas pessoas estão optando pela não prevenção devido alguns "boatos" sobre sua fabricação. Enfim, como bióloga sei o verdadeiro risco que cada mutação nos oferece como por exemplo o aumento significativo de sua nocividade e resistência.
Fica registrada minha opinião.
Com carinho. Simplesmente Outono.

Ministério da saúde disse...

Flavih Jones,

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os principais efeitos colaterais da vacina são dores de cabeça, nos músculos e articulações e febre. São sintomas leves, que devem durar cerca de dois dias. A vacina é segura e eficaz.
Att,
Ministério da Saúde
comunicacao@saude.gov.br

Ministério da saúde disse...

Rafael,
Infelizmente, andam circulando na Internet algumas informações contrárias à Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza H1N1. São informações falsas que não condizem com a realidade. Além de serem prejudiciais à saúde pública do país, eles tratam de especulações. Não é verdade. O fato é que mais de 400 milhões de pessoas já foram vacinadas com esta vacina no Hemisfério Norte, sem qualquer efeito colateral grave. A vacina é eficaz, segura e protege a população.


Att,
Ministério da Saúde
comunicacao@saude.gov.br

Ministério da saúde disse...

Richard Mathenhauer,



A vacina é eficaz, segura e protege a população.Em todas as campanhas de vacinação, realizadas pelo mundo, surgem teorias de que estas imunizações causam sérios danos ou até morte. Porém, estes fatos não são verdadeiros. Nosso país tem tradição em campanhas de vacinação. Já erradicou doenças e diminuiu os danos causados por muitas outras. A vacina é justamente para ajudar a diminuir os males provocados por um vírus. Se você faz parte do grupo de risco deve tomar a vacina para se proteger.



Att,

Ministério da Saúde

comunicacao@saude.gov.br

Ministério da saúde disse...

Oda Moura,

O público alvo foi definido dentre as pessoas que correm maior risco de desenvolver uma forma mais grave da doença.Os Estados têm autonomia para definir estratégias e organizar a operacionalização da campanha de vacinação que melhor se enquadra a sua realildade.


Att,

Ministério da Saúde

comunicacao@saude.gov.br

Ministério da saúde disse...

Simplesmente Outono,


Agradecemos pelo seu posicionamento coerente sobre a campanha de vacinação. Parabéns pela maneira sensata que trata o assunto. Milhares de pessoas morreram no Brasil em 2009, o Ministério da Saúde tem o dever de zelar pela saúde do brasileiro, sabendo-se que a Influenza H1N1 representa uma ameaça a esse princípio. O Ministério da Saúde realizou inúmeras pesquisas e discussões para chegar a campanha em curso. Foram adquiridas 113 milhões de doses para imunizar todas as pessoas que estão nos grupos de risco. Em todas as campanhas de vacinação, realizadas pelo mundo, surgem teorias de que estas imunizações causam sérios danos ou até morte. Porém, estes fatos não são verdadeiros.



Ministério da Saúde

comunicacao@saude.gov.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...