sexta-feira, 27 de novembro de 2009

DO COMEÇO AO FIM


Pra entender esse amor, é preciso virar o mundo de cabeça pra baixo”


Assisti hoje a esse filme e confesso que vai ser bem difícil expressar minhas impressões sobre ele. O filme acabou me gerando sensações ambíguas, não que isso seja ruim, pelo contrario, acho mesmo que uma história como essa foi feita para causar alguma reflexão, e refletir sobre certos temas é sair da zona de conforto. E o que eu penso sobre essas coisas, são somente minha opinião, mas eu não gostaria de ser sub-compreendido.

Logo que o trailer surgiu na internet o filme já mostrou a que veio. Juntar num mesmo roteiro dois temas tão polêmicos era, no mínimo, muita coragem. Seria necessário?

Eu tenho nos meus valores um cristianismo católico profundamente arraigado, minha percepção do mundo é orientada sob essa ótica, no entanto não comungo de 100% das doutrinas e dogmas da Santa Igreja, mesmo assim foi nela que aprendi que sou um filho de Deus. É o que eu sempre digo, a Igreja é de Deus, mas é feita por homens, e homens erram, e erram muito.

Digo tudo isso por que o filme toca em dois pontos nevrálgicos: HOMOSSEXUALIDADE e INCESTO. Fui ver o filme com receio desse choque de ideologias.

O longa de Aluizio Abranches tem duas partes distintas.

Na primeira parte os irmãos ainda crianças começam a construir a trajetória daquele grande amor, tudo muito bem produzido e leve, não parecia uma linguagem de filme nacional, tudo muito diferente, entretanto achei meio seccionado demais, elaborado demais, pouco natural, e mesmo que muito sutil, a futura conotação sexual que nasceria dali me deixou um pouco constrangido por serem crianças. Dessa parte relembro um trecho do roteiro em que Julieta (Júlia Lemmertz) diz a seu filho Francisco que tudo na vida tem um lado bom e um ruim, o que diferencia as pessoas é qual dos dois lados a pessoa vai dar mais ênfase. – Isso serve para quem for dar alguma opinião sobre o filme.


A segunda parte é quando, já adultos, o amor entre os dois meio irmãos se consuma. Nesse momento o filme muda. A linguagem passa a ser mais ágil e contínua. Também é nessa parte do filme que as pessoas mais desavisadas ou mais moralistas podem se chocar. Há cenas quentes entre os dois atores. (as cenas ficaram bonitas, não foram vulgares, deram a profundidade daquela paixão, mas não acho que os diversos nus sejam tão necessários, sem falso puritanismo, só uma opinião.)

Depois disso tudo é que fui entender que o filme não faz apologia nem levanta bandeiras ao incesto ou a homossexualidade, isso é quase um pano de fundo, o filme traz apenas uma historia de amor. Um AMOR que aconteceu por acaso entre dois homens, por acaso entre dois irmãos. Não há confusão entre o amor carnal e o fraternal. São coisas distintas e sempre serão, calhou de acontecerem juntas.

O que o povo vai achar disso? Não faço a menor idéia. Espero que vejam o filme para depois se posicionarem sobre o assunto. Ou que assistam ao filme e depois curtam uma cervejinha com os amigos, afinal, não é uma revolução.

Sei que há comentários dizendo que tudo no filme é meio ‘comercial de margarina’, os conflitos e os preconceitos parecem não invadir a vida dessa família. É verdade. O filme é realmente um parque de diversões com pessoas ricas, bonitas, bem resolvidas e profissionalmente realizadas. Isso porque o foco do filme era outro. No entanto, acho que perdeu-se uma boa oportunidade de aprofundar a discução destes temas e seus inevitáveis conflitos.

Um filme leve e forte, polemico e sutil, profundo e superficial.
Um filme impar.

6 comentários:

railer disse...

ainda não vi este filme, mas quero vê-lo em breve. não li tudo do seu texto, pulei algumas partes, com medo de saber mais da história do que devo. depois que eu assistir ao filme eu leio direito, ok?

o que já escutei de quem leu é que o filme é parado, que não entra muito na questão e também não apresenta conflitos.

Giane disse...

Você disse bem: temas polêmicos e difíceis de comentar.
Vou abster de dar qualquer opinião até assistir o filme.
Agradeço a dica.

Beijos mil!!!

Arthur Alter L. disse...

Meu caro eu ainda não vi o filme mas pretendo vê-lo em breve.
Já livárias críticas sobre. Mas acho que vc foi super feliz dá forma como analisou o filme e como terminou sua postagem postagem parabéns.
Abraço e feliz semana

Rafael Lopes disse...

Este filme já ta virando lenda por toda a polêmica.

Espero que entre em cartaz logo por aqui para poder assistir.

Visitando o blog aqui, já estou seguindo também.

abraço

Jay e Alê disse...

Ainda bem que não somos normais neh? kkkkk
Sobre o filme vou ver esse fim de semana, li muitas críticas e acho que ele vai acabar sendo menos interessante que o que apresenta ser e sua análise já deu pinta disso. Se eu puder passo aqui pra falar de minha impressão sobre o filme.
Grande abraço e aparece mais vezes.
Jay

Cristiano Contreiras disse...

Vi e esperava muito, mais muito mais.

A ausência de NENHUM conflito causa a irrealidade do argumento.

Uma pena mesmo.

Veja minha opinião do filme no Apimentário.

abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...